domingo, 4 de agosto de 2013

Atividade sobre Estrutura e formação de palavras - Poesia Concreta


A seguir você vai ler um poema concreto de Haroldo de Campos. Poemas concretos são aqueles que se destacam por sua disposição visual, seus recursos gráficos e seus efeitos de som e sentido.

(Augusto de Campos, Décio Pignatari, Haroldo de Campos. Teoria da poesia concreta. São Paulo: Duas Cidades, 1975. p. 57.)

1. O poema apresenta uma única estrofe, composta por quinze versos. Apesar disso, é possível  perceber nele divisões internas baseadas em paralelismos (relações de semelhança). Uma divisão  possível é considerá-lo organizado em duas partes, cada uma contendo dois blocos:
1ª parte bloco 1: versos 1 a 4                  2ª parte bloco 3: versos 8 a 11
              bloco 2: versos 5 a 8                                bloco 4: versos 12 a 15

a) Compare a 1ª com a 2ª parte. É possível notar a ocorrência de paralelismo entre blocos de  versos das duas partes. Quais são esses blocos e versos? (Se quiser, faça um esquema em seu  caderno: numere os versos e indique as correspondências com setas.)
b) De um bloco para outro, há a recriação de versos e palavras, feita a partir de determinado  processo de formação de palavras. Qual é esse processo?
c) Que elementos mórficos tiveram papel de destaque nesse processo de formação de palavras?

2. Além da correspondência entre as duas grandes partes do texto, é possível notar uma correspondência entre os blocos de cada parte. Compare os dois blocos da 1ª parte. Dois pares de palavras  se correspondem, como nasce ➝ renasce, morre ➝ remorre.
a) Que tipo de relação há entre esses pares de palavras?
b) Essa relação é estabelecida pelo emprego do prefixo re-, que, entre outros, apresenta estes sentidos: repetição, mudança de estado e intensidade. Que sentido(s) o prefixo re- assume no texto?
c) Com esse prefixo, foram formadas as palavras remorre e renasce. Qual dessas palavras causa estranhamento? Por quê?
d) Você acha que, durante a vida de uma pessoa, pode haver várias mortes e vários nascimentos?  Em que eles consistiriam? Justifique sua resposta.

3. Observe agora a 2ª parte do texto.
a) Os dois blocos que a constituem também mantêm correspondência entre si? Explique.
b) O prefixo des- pode apresentar vários sentidos, como separação, transformação, intensidade,  ação contrária, negação, privação e reiteração. Que sentido(s) ele assume no texto?
c) Que palavras formadas a partir do prefixo causam estranhamento? Por quê?

4. Embora nascer e morrer estejam em oposição, a prefixação e os neologismos tornam relativa essa  oposição.
a) O que significa desnascer e desmorrer?
b) Observe o 13º verso do poema: Que outra palavra, além de nasce e morre, se encontra no  neologismo morrenasce?

5. Traçando um movimento circular, o poema termina como começa, ou seja, com a palavra se. Essa  palavra assume dois sentidos e dois valores gramaticais no poema. Um deles é o de índice de indeterminação do sujeito (nasce-se, morre-se, etc.), que indetermina e generaliza o sujeito dos verbos,  isto é, dá a ideia de que esse sujeito se refere a todos nós, que inevitavelmente nascemos e morremos.
a) Que outro sentido essa palavra assume no contexto? Justifique.
b) A palavra se inicia e encerra o poema. Que relação esse procedimento tem com o tema do texto?

# RESPOSTAS (GABARITO)

Leia mais:
Exercícios sobre processo de formação de palavras (atividades, aula)
Aula: Tira em Quadrinhos e Formação de Palavras
Aula sobre Estrutura e Formação de Palavras Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...