domingo, 9 de março de 2014

Atividade sobre o gênero textual “Resenha” (Saerjinho, 2º ano)



Questões do Saerjinho de Língua Portuguesa a partir de uma "resenha"

Leia os textos abaixo.

Duas visões sobre “O Senhor dos Anéis, parte 2”.
Texto 1
Continua sendo a saga de Frodo Bolseiro e seus amigos – Sam, Aragorn, Legolas e Gimli. [...] Estabelece-se no segundo filme, a ligação entre Frodo e o Gollum, que não é outro senão Sméagol, corrompido pela força destrutiva do anel. Gollum/Sméagol é um prodígio de técnica, um ser virtual criado no computador a partir de interpretação de um ator, Andy Serkis. Como no primeiro filme, a técnica é grandiosa, mas não é o que importa. É colocada totalmente a serviço da história. Desde que os hippies começaram a viajar na saga de Frodo, nos anos 1960, muita gente colocou a etiqueta do ‘esoterismo’ na obra de Tolkien. É um movimento reducionista, de quem nunca leu, ou leu só superficialmente, a série de livros. Jackson tomou muita liberdade em relação ao original. O filme é uma experiência e tanto, ética, estética, humanística. Trata de todos os temas: amizade, amor, ambição, honra, dedicação, coragem, vida e morte. Incorpora o próprio elemento narrativo, na medida em que Frodo e Sam, no fim, sonham com suas aventuras imortalizadas na imaginação popular. Até ao afastar-se do Tolkien, Jackson é fiel ao autor. Criou um movimento que justifica sozinho, o cinemão.

Texto 2
O Senhor dos Anéis tem dois tipos de espectadores: os tolkienmaníacos e os outros. Os primeiros, calejados na leitura do universo delirante de J. R. R. Tolkien, chegam preparados para qualquer eventualidade, pois estão familiarizados com o mundo mágico do autor. O filme terá para eles valor ilustrativo. Dos segundos, que não têm intimidade com topônimos e seres como Isengard, ents, hobbits, elfos e orgs, será exigido esforço maior. Peter Jackson [...] realizou com folgas um épico de visual suntuoso. Neste segundo episódio, já fenômeno de bilheteria, a ênfase é nas batalhas. Para quem se impressiona com combates digitais, trata-se de um prato e tanto. Já a narrativa, que afinal tem de evoluir entre uma batalha e outra, parece bem mais modesta. Vista de perto, descobre-se a velha e boa estrutura formal que se convencionou chamar de ‘jornada do herói’, com o protagonista sendo lançado à aventura, hesitando, correndo riscos, encontrando antagonistas e aliados e depois salvando o mundo e a si mesmo. Luta do Bom contra o Mal, à moda do presidente Bush. Ou seja, muito barulho por nada.  
(O Estado de S. Paulo, 27 dez. 2002.)

# Exercícios:
1.  Sobre o filme O Senhor dos Anéis, esses dois textos apresentam opiniões
A) diferentes.
B) emotivas.
C) iguais.
D) imparciais.
E) incoerentes.

2. No Texto 1, o trecho que apresenta um dos argumentos que sustenta a opinião do autor sobre a qualidade do filme O Senhor dos Anéis é:
A) “Estabelece-se no segundo filme, a ligação entre Frodo e o Gollum,...”. (ℓ. 2)
B) “... um ser virtual criado no computador a partir de interpretação de um ator,...”. (ℓ. 4)
C) “Desde que os hippies começaram a viajar na saga de Frodo, nos anos 1960, muita gente colocou a etiqueta do ‘esoterismo’ na obra de Tolkien.”. (ℓ. 6-7)
D) “Jackson tomou muita liberdade em relação ao original.”. (ℓ. 9)
E) “Incorpora o próprio elemento narrativo, na medida em que Frodo e Sam, no fim, sonham com suas aventuras imortalizadas na imaginação...”. (ℓ. 11-12)

3. No Texto 1, o trecho que apresenta um fato sobre o filme O Senhor dos Anéis é:
A) “Continua sendo a saga de Frodo Bolseiro e seus amigos...”. (ℓ. 1)
B) “Como no primeiro filme, a técnica é grandiosa, mas não é o que importa.”. (ℓ. 4-5)
C) “O filme é uma experiência e tanto, ética, estética, humanística.”. (ℓ. 9-10)
D) “Até ao afastar-se do Tolkien, Jackson é fiel ao autor.”. (ℓ. 13)
E) “Criou um movimento que justifica sozinho, o cinemão.”. (ℓ. 13-14)

4. O Texto 2 tem como finalidade
A) contar uma história.
B) dar uma informação.
C) divulgar um filme.
D) fazer uma análise crítica.
E) relatar um acontecimento.

5. Segundo o Texto 2, para os tolkienmaníacos, o filme O Senhor dos Anéis
A) exigirá um esforço maior.
B) será meramente ilustrativo.
C) será uma eventualidade.
D) trará uma leitura delirante.
E) tratará de combates digitais.

6. No Texto 2, no trecho “Para quem se impressiona com combates digitais, trata-se de um prato e tanto.” , a expressão destaca foi usada para
A) apresentar um exagero.
B) destacar uma qualidade.
C) fazer uma comparação.
D) intensificar uma informação.
E) marcar um duplo sentido.

7. No Texto 2, no trecho “... preparados para qualquer eventualidade, pois estão familiarizados com o mundo mágico...” (ℓ. 2-3), a palavra destacada estabelece uma relação de
A) alternância.
B) condição.
C) explicação.
D) finalidade.

E) oposição.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...