terça-feira, 17 de setembro de 2013

Questões Saerj - Português - Romance "Vila dos Confins"


Leia o fragmento abaixo do capítulo – “Sertão dos Confins” – da obra Vila dos Confins de Mário Palmério e responsa às questões que seguem:

     O Sertão dos Confins é um mundo de chão arenoso e branco, que principia na Serra dos Ferreiros e acaba no Ribeirão das Palmas. (...)
     Ah, e a caatinga!
     Lavoura, lavoura mesmo, por ora nada: meia quarta de arroz aqui, litrinho ali de feijão comum; milho, cana e mandioca; e, lá uma vez na vida, um canteirinho de algodão. (...)
Se o Sertão dos Confins é magro de boas terras, tem lá as suas compensações. A caça encontra-se à vontade nas tiras de mato e nas varjões beira-rio: jacus, jaós, patos, e tudo o que é raça de passarão morador nas redondezas de água corrente e parada. Nos campos pragueja a caça miúda das perdizes, codornas e nhambus. Para os que apreciam bichos de porte, há fartura de emas, queixadas, capivaras, e todo o tipo de veados das três moradas: campeiros, catingueiros e mateiros. Antas e cervos não fugiram de todo ainda, apesar de um ou outro caçador que sempre dá de aparecer por aquelas bandas. Tampouco as onças-pintadas, e outras pestes da mesma marca: sucuris e jacarés, sem falar nas piranhas, a maldição mor das águas sertanejas. As sucuris, essas, então, infestam as cabeceiras e brejos daqueles cafundós. Uma desgraça! Jacaré, também, enxame deles. E jacarés papo-amarelo, dos manatas — sornas sempre, mas refinadíssimos ladrões de tudo o que é criação de terreiro. Uma beleza, o Sertão dos Confins, para quem gosta de caçadas. (...)
     Para quem gosta da pesca, então é que é pagode! Peixe por demais: de escama ou de couro, de bigode ou sem bigode, a peixaria é um dilúvio. Dourados e matrinxãs, surubis e pacus, taguaras e piaus, jaús, pirás, corvinas... — povo aquático de todas as categorias e tamanhos. Tarrafa jogada em rasoura não volta murcha. Na pior das desgraças, são lá as suas oito ou dez curimatás de palmo e tanto, e cascudões de mais de quilo (um ensopado de cascudo, torrado antes no borralho para se conseguir arrancar o capotão de couro duro que nem ferro, e temperado sem misérias de pimenta, é prato de muito luxo). Anzol iscado com muçum não esfria na água e vai parar certinho no bucho de um moleque dos seus oito ou dez quilotes. Isso, quando o pescador é azarado, porque na maioria dos casos o peixe costuma pesar arroba e coisa. E não é novidade, não senhor, arrancar-se um pintadão de mais de cinco arrobas! (...)
     Este, um ligeiro apanhado do Sertão dos Confins. Esqueceram-no as geografias, esqueceram-no os governos. Quem desejar pormenores, só mesmo dando um pulo até lá.

QUESTÕES:
1. De acordo com esse texto, a caça é encontrada à vontade
a) nas faixas de mato   b) nas lavouras de arroz
c) nos campeiros   d) nos catingueiros

2. No último parágrafo desse texto, percebe-se que o narrador
a) convida o interlocutor para conhecer o lugar
b) despreza os detalhes do lugar
c) evidencia o descaso com o lugar
d) explica a importância política do lugar

3. No trecho “... a peixaria é um dilúvio”, o termo em destaque sugere
a) fartura   b) ironia   c) menosprezo   d) temporalidade

4. No trecho “essas, então, infestam as cabeceiras e brejos...”, o pronome demonstrativo em destaque refere-se à palavra
a) antas   b) codornas   c) emas   d) sucuris

5. No trecho “e piaus, jaús, pirás, corvinas...”, o uso das reticências dá ideia de
a) continuidade   b) hesitação   c) pausa   d) suspense

6. No trecho “... apesar de um ou outro caçador...”, a expressão em destaque estabelece com a oração anterior uma ideia de
a) comparação b) concessão
c) finalidade d) proporção

7. No trecho “O Sertão dos Confins é um mundo de chão arenoso...”, o recurso estilístico empregado é 
a) a atribuição de ações a seres inanimados
b) a mistura de diversas impressões
c) o exagero na apresentação
d) o jogo de oposição semântica

8. Em “Se o Sertão dos Confins é magro de boas terras...”, a conjunção em destaque expressa
a) causa b) consequência
c) condição d) conclusão

9. No trecho “... mas refinadíssimos ladrões de tudo o que é criação de terreiro”, o conectivo em destaque indica
a) explicação    b) conclusão   c) oposição   d) condição

10. Em “Isso, quando o pescador é azarado...”, a conjunção destacada expressa ideia de 
a) adição   b) consequência   c) condição   d) tempo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...