quinta-feira, 14 de abril de 2011

Aula: análise da música "Bola de meia, bola de gude"


Bola de meia, bola de gude

Há um menino,
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto balança
Ele vem pra me dar a mão

Há um passado
No meu presente
Um sol bem quente lá no meu quintal
Toda vez que a bruxa me assombra
O menino me dá a mão

E me fala de coisas bonitas
Que eu acredito
Que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito, caráter, bondade, alegria e amor
Pois não posso, não devo, não quero
Viver como toda essa gente insiste em viver
E não posso aceitar sossegado
Qualquer sacanagem ser coisa normal

Bola de meia, bola de gude
O solitário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança
O menino me dá a mão

Há um menino,
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto fraqueja
Ele vem pra me dar a mão.


NASCIMENTO, Milton

1) O “eu poético” é um adulto que diz ter uma criança habitando seu coração. Em que momento da vida do adulto a criança se faz presente?
2) Que referências do texto dizem respeito ao mundo da criança?
3) Releia estes versos: “Há um passado no meu presente/ Um sol bem quente lá no meu quintal”.
a) Como você explica a expressão destacada?
b) Com base nesse raciocínio, qual o significado do segundo verso?
4) O “eu poético” diz: “Pois não posso, não devo, não quero / Viver como toda essa gente insiste em viver”.
a) Quem é “essa gente” a quem ele se refere?
b) Ao dizer “não posso, não devo, não quero”, o “eu poético” assume uma atitude diante das coisas que ele considera erradas. Como ele quer viver?
5) O que o menino representa para o adulto nessa canção?
6) Pode-se dizer que o menino também representa para o adulto um amigo, aquele em quem ele busca apoio em sua caminhada pela vida? Explique. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...