sábado, 7 de janeiro de 2017

Dicas: 4 estratégias para fazer os alunos te escutarem



Muito tempo do professor é gasto em pesquisas, encontrar material pertinente, pensar sobre a estratégia de ensino e chegar à classe. Planejar uma aula requer tempo e dedicação, esforços que podem ser em vão caso os alunos ficam dispersos durante os 50 minutos ou mais. A falta de atenção e as conversas são mais comuns nas aulas que antecedem e se seguem ao recreio e, neste período, fica difícil conseguir retomar o controle da turma.

Uma opção comum aos professores é aumentar o volume da voz para chamar a atenção da classe. E aqui você vai aprender quatro técnicas para ser ouvido entre seus alunos sem precisar optar pelo grito.
Confira:

Tática 1: Conseguem ouvir? Escolha um instrumento de percussão como um triângulo, um tambor ou um pandeiro. Peça que os alunos levantem a mão se conseguirem ouvir o som que ele emite. Vá tocando e diminuindo progressivamente seu volume até que fique quase imperceptível. O objetivo é centrar a atenção dos alunos através da audição.

Tática 2: Me siga! Diga aos alunos que, quando eles estiverem distraídos, você mandará um sinal que apenas os que tiverem atentos conseguirão ouvir. O sinal pode ser um gesto como tapar um olho ou acariciar a própria cabeça, desde que não emita nenhum som. Com isso, captará a atenção do grupo através da linguagem corporal e consciência do ambiente ao redor.

Tática 3: Recitando um poema Ensine aos estudantes um poema fácil e peça para que eles decorem. Quando estiverem dispersos, comece a recitá-lo em voz alta até que toda turma o acompanhe. Assim, você retomará a atenção da classe com o som e a repetição conjunta.

Tática 4: Fechar os olhos e respirar Coloque uma música tranquila e peça para os alunos taparem os olhos e respirarem fundo acompanhando a melodia. Sugira que eles percebam o movimento de entrada e saída do ar pelo corpo. Quando estiverem mais calmos, peça para que abram os olhos e retome a aula.

Fonte e Texto: http://www.soescola.com/ Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 1 de janeiro de 2017

Dez características de países que são superpotências educacionais



As superpotências educacionais asiáticas ocupam os primeiros lugares
Quando se fala em rankings globais de educação a história parece se repetir. As superpotências educacionais asiáticas ocupam os primeiros lugares e, para o resto do mundo, sobram dúvidas e recriminações.

Para os ministros da Educação de grande parte do mundo este deve ser um momento difícil, no qual eles precisam encontrar algum aspecto positivo para destacar e tentar explicar a razão de seus países estarem mais uma vez no meio ou até nas últimas colocações da lista.

Cingapura dominou os resultados do Programa de Avaliação Internacional de Alunos (Pisa, na sigla em inglês), divulgados no começo de dezembro, nas três áreas avaliadas, Matemática, Ciência e Leitura.

Cerca de 540 mil estudantes de 15 anos em 70 países participaram do exame, realizado a cada três anos pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

No ranking de Ciência, Cingapura foi seguida outra potência asiática da educação, Japão. Em terceiro, a Estônia. No de Leitura, o segundo e terceiros lugares ficaram com China (Hong Kong) e Canadá. E no de Matemática , Hong Kong e Macau (também China).

Mas o que estes países fizeram para chegar a este patamar? O que eles têm que outros países não têm?

Veja algumas das características destes vencedores.

1 - É melhor estar na Ásia Oriental
Cingapura está em primeiro lugar, seguida pelo Japão. Outros daquela região estão entre os dez primeiros como Taiwan, Macau, Hong Kong, China, Vietnã. A Coreia do Sul está em 11º lugar.

2 - Um pouco de conformismo?

Falando de uma forma muito diplomática, a expectativa em muitos dos países que ocupam as primeiras posições geralmente é que as pessoas obedeçam as ordens que recebem.

Uma cultura conformista e concentrada, um senso de objetivo coletivo ou até um Estado onde exista apenas um partido, sem oposição, frequentemente são elementos que podem ser observados entre os países mais bem colocados.

Mas há exceções: a Finlândia ficou em quinto lugar e este é um país com um sentimento forte de independência liberal.

3 - Melhor não ter recursos naturais

Existe um fenômeno em educação chamado "a maldição dos recursos" que mostra que as economias cuja base são os recursos naturais - como as que dependem em grandes reservas de petróleo - têm uma tendência a performances ruins no setor de educação.
Países do Oriente Médio podem ser citados como exemplo. Como motivar uma pessoa que espera ser rica independente de seus resultados na escola?
Os países pequenos e com poucos recursos, por outro lado, precisaram aprender rapidamente como viver e progredir a partir de sua própria inteligência. Por exemplo, há 60 anos a Coreia do Sul tinha um dos piores índices de analfabetismo do mundo, agora muitos de nós estamos assistindo programas em aparelhos de televisão criados ou fabricados naquele país.

4 - Aposte nos professores

Andreas Schleicher, guru educacional da OCDE, tem uma frase: "Nenhum sistema de educação pode ser melhor do que a qualidade de seus professores".
E a classificação no Pisa demonstra isso: o sucesso está unido à oferta de professores de boa qualidade.
Não importa quais as declarações polêmicas dos ministro de Educação, tudo se resume em um bom investimento nos professores.

5 - Ser uma nação (relativamente) jovem
Os países mais bem colocados em rankings educacionais podem ter culturas antigas, mas uma característica interessante deles é que muitos são Estados relativamente novos ou tiveram suas fronteiras reconstituídas recentemente.
A Finlândia vai celebrar seu centenário em 2017 e a Coreia do Sul e Cingapura, em suas atuais formas políticas, são produtos do século 20.
O Vietnã, que saiu de uma guerra na década de 1970 foi um dos que melhoraram mais rapidamente seu sistema educacional, ultrapassando os Estados Unidos e os dinossauros da velha Europa.

6 - Ter um vizinho grande que brilhe mais que você
Outra característica surpreendente dos países mais bem posicionados em rankings de educação é o quanto eles tiveram que lutar para conseguir um lugar ao sol por causa de um vizinho muito maior.


As histórias de sucesso em países europeus nos últimos anos - na Finlândia, Polônia e Estônia - mostram que eles tiveram que sair da sombra do antigo bloco soviético.

A Coreia do Sul e Hong Kong têm como vizinha a China. Cingapura é uma cidade-estado minúscula cercada por vizinhos bem maiores em tamanho e população.

A educação é que permite a todos estes países competirem com os países maiores.

7 - Não é uma competição por eliminação
As classificações em rankings de educação se baseiam na proporção de jovens que conseguem alcançar algum ponto de referência de capacidade
Os ganhadores serão aqueles países que presumem que todos devem cruzar esta linha de chegada, alcançar este padrão, até os mais pobres - e esta é uma característica que marca os mais bem-sucedidos sistemas educacionais da Ásia.
Eles colocam os melhores professores cuidando dos alunos mais fracos para garantir que todos alcancem o padrão básico.
O sistema ocidental, por sua vez, aborda a educação como uma corrida de cavalos, com a expectativa de que poucos dos que começam a corrida alcancem a meta.


E as classificações refletem esta diferença fundamental.

8 - Copiar dos melhores
É difícil separar os sistemas educacionais da política e da cultura onde eles se desenvolvem.
Por mais que todos gostem de falar de "inovação", há muita pressão de todos os lados contra a mudança.
Mas muitos dos países com alto rendimento não tem nenhum problema em pegar as melhores ideias de outros países e usá-las em suas próprias escolas.

9 - Planejar para o longo prazo em um mundo onde tudo é no curto prazo
Dez anos ou até mais podem passar antes que as mudanças em um sistema educacional façam alguma diferença positiva a ponto de mudar o lugar do país em rankings globais do setor.
E isto não é um grande incentivo para a curta vida útil de um gabinete de ministro da Educação.
Em alguns países os ministros podem ser trocados várias vezes até em uma questão de dias.
A grande mensagem que os países precisam entender a partir destes rankings globais de educação é que os dois fatores necessários são coerência e continuidade.

10 - Culpe todo mundo

É preciso muito tempo para mudar a educação de um país e para notar estas mudanças.
Então os ministros desta pasta podem se vangloriar de qualquer coisa que tenha sucesso e culpar todos os da administração anterior pelos fracassos.

Fonte: Uol Educação
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 27 de novembro de 2016

Atividade sobre substantivo – texto “Como é feito o chiclete?”



Leia este texto - "Como é feito o chiclete?", de Maria Carolina Cristianini:

Primeiro se faz uma mistura de vários tipos de borracha, que é chamada de goma base. depois são incluídos resinas e óleos vegetais, que amaciam a massa, substâncias minerais, que encorpam a mistura, e açúcar, corantes, aromas e ácidos, que dão o sabor. em seguida, essa massa é esticada, cortada e são acrescentados um xarope de açúcar e essências que formam a casquinha crocante do chiclete. aí é só embrulhar.

1. Todo texto tem uma finalidade. Qual é a finalidade do texto que você acabou de ler?
a) informar como o chiclete é feito
b) descrever as características do chiclete
c) enumerar os produtos de que é feito o chiclete
d) apresentar os ingredientes do chiclete

2. Quem produziu o texto, para explicar a fabricação do chiclete, mencionou o nome de vários ingredientes.
a) Quais são eles?
b) As palavras correspondentes ao nome desses ingredientes pertencem à classe dos substantivos. Que outros substantivos há no texto?

3. Escreva em seu caderno pelo menos três substantivos que nomeiam objetos usados pelos seguintes profissionais:
a) cozinheiro
b) jogador de futebol
c) pedreiro
d) modelo
e) médico
f) bombeiro
g) engenheiro
h) pintor

4. Você já sentiu saudade de alguém ou de algum lugar? Existem muitos sentimentos ou sensações que experimentamos na vida.
a) Faça uma lista de sentimentos e sensações que você já teve.
b) A que classe de palavras os nomes correspondentes a esses sentimentos e sensações pertencem?

# RESPOSTAS (GABARITO)

Fonte: Português: Linguagens
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Atividade sobre substantivo na construção do texto


Leia a letra de uma canção de Vinícius de Morais e Paulo Soledade:

As coisas devem ser bem grandes 
Pra formiga pequenina 
A rosa, um lindo palácio 
E o espinho, uma espada fina 

A gota d'água, um manso lago 
O pingo de chuva, um mar 
Onde um pauzinho boiando 
É navio a navegar 

O bico de pão, o corcovado 
O grilo, um rinoceronte 
Uns grãos de sal derramados, 
Ovelhinhas pelo monte

1. Os compositores, nessa canção, apresentam duas visões de mundo: a do homem e a da formiga.
a) Os elementos a seguir expressam a visão do ser humano. Dê os elementos que correspondem a eles, na visão da formiga.
Rosa – gota d´água – pauzinho – grilo – espinho – pingo de chuva – bico de pão – grãos de sal

b) Observe as respostas do item anterior. A que classe gramatical pertencem as palavras dadas como resposta?

c) Alguma dessas palavras designa sentimento, sensação ou qualidade?

2. No texto, há predominância de substantivos comuns e concretos.
a) Na sua opinião, por que isso acontece?
b) Troque ideias com os colegas: O substantivo “corcovado” é comum ou próprio?

3. Se coubesse a você dar continuidade à letra da canção, que outros substantivos comuns e concretos usaria?

# RESPOSTAS (GABARITO)

Fonte: Português: Linguagens
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Atividade sobre coletivos – cartum de Ozzy



Leia este cartum "A coleção de insetos do Ozzy", de Angeli:

1. Ozzy é uma personagem criada pelo cartunista Angeli. Entre outras características, o garoto não gosta de tomar banho, é antissocial e adora coisas nojentas.
a) Qual é o elemento que quebra a expectativa do cartum, gerando humor?
b) Levante hipóteses: Por que Ozzy se incluiu em sua própria coleção?

2. As palavras que nomeiam os seres da coleção de Ozzy pertencem à classe dos substantivos. Elas são substantivos comuns ou próprios? Concretos ou abstratos?

3. Troque ideias com os colegas e com o professor: Qual é a palavra que designa o coletivo de insetos? Empregue-a em frase.

# Respostas:
1.
a) O fato de Ozzy estar pregando na parede e exposto, como se também fosse um inseto.
b) Resposta pessoal: Sugestão: Talvez por se identificar com os insetos.

2. São substantivos concretos e, com exceção de Ozzy, que é substantivo próprio, todas as demais são substantivos comuns.

3. Nuvem ou praga. Uma nuvem de gafanhotos invadiu a cidade.

# RESPOSTAS (GABARITO)

Fonte: Português: Linguagens
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...