domingo, 15 de julho de 2018

4 dicas para uma REDAÇÃO NOTA DEZ para o ENEM


Escrever nem sempre é tarefa fácil, mas existem técnicas e dicas de redação que poderão deixá-lo(a) mais perto de uma nota 10.
Dicas de redação: A redação nota 10!

♦ Dica 1: Fique atento ao tema da redação

Nossa primeira dica pode até parecer meio óbvia, mas não é. Muitas pessoas não dão a devida atenção ao tema proposto e acabam cometendo um erro imperdoável: fogem da proposta solicitada e, por isso, têm suas redações zeradas em concursos e vestibulares. Para não fugir do tema, fique atento à coletânea apresentada, pois geralmente são oferecidos textos motivadores que podem auxiliar bastante no momento da escrita, principalmente se o assunto abordado não for tão familiar para você. Leia, releia e faça esse exercício quantas vezes for preciso. Lembre-se de que a pressa, como já dizia o ditado, é inimiga da perfeição.

♦ Dica 2: Planeje seu texto

Dedique alguns minutos para o planejamento de seu texto. Nesse momento, você deverá fazer um esboço daquilo que será abordado, o que facilitará bastante o processo de escrita. Para isso, você pode tomar como exemplo o esquema abaixo. Observe:

1) Tema: assunto geral do texto.

2) Delimitação do tema: aspecto do tema que vai ser tratado.

3) Objetivo: o que você pretende com o seu texto?

4) Ideias do desenvolvimento: argumentos, exemplos, comparações, confrontos e todos os recursos que auxiliarem na sustentação do ponto de vista que será apresentado para o leitor.

♦ Dica 3: Hora de organizar as ideias, hora de escrever!

Planejamento feito, mãos à obra! Os minutos que você dedicou para esquematizar seu texto serão recompensados, haja vista que você já terá os caminhos de sua produção textual praticamente definidos. “Praticamente” porque pode ser que, ao longo do texto, outras ideias surjam, alterando, assim, as ideias iniciais. Surpresas são bem-vindas, pois o planejamento deve ser visto como um aliado e jamais como o responsável pelo engessamento da redação. Para iniciar sua composição, seja ela do gênero ou tipo que for, você deve surpreender o leitor logo na primeira oportunidade. Isso significa que você precisa ter o cuidado de escolher uma frase impactante para iniciá-la para que o leitor fique interessado em suas ideias e argumentos. Você pode fazer uma citação (desde que não seja extensa), pode parafrasear um poema, uma letra de música ou até mesmo estabelecer uma relação de intertextualidade com um texto-fonte. Além disso, você também pode fazer uma pergunta para o leitor (e claro, respondê-la assim que for possível) e concluir o parágrafo sempre que outra ideia se anunciar, afinal de contas, o parágrafo deve ser composto por apenas um tópico frasal.

♦ Dica 4: Evite excessos, seja natural.

Ser “natural” significa fazer escolhas linguísticas que prezem pela inteligibilidade de seu texto, caso contrário, o entendimento da mensagem ficará comprometido. Você deve apresentar um vocabulário preciso e evitar palavras e expressões cujos significados você não conheça. Parece estranho, mas a verdade é que muitas pessoas, na tentativa de impressionar o leitor (e, em especial, o corretor), utilizam o ultrapassado e desnecessário recurso do rebuscamento linguístico para mascarar a falta de conteúdo do texto ou ainda para tentar exibir seu amplo vocabulário, esquecendo-se de que a comunicação deve acontecer de maneira fluida, livre de obstáculos que prejudiquem a comunicação. Para um discurso mais, digamos assim, “natural”, você pode fazer pausas, empregar a voz ativa (o que deixará a construção frasal mais objetiva e concisa), fazer perguntas diretas e utilizar modalizadores do discurso, elemento que permitem uma maior interação entre o autor e o leitor.

Fonte: Mundo Educação

sábado, 7 de julho de 2018

TOP 10: Dicas para fazer a redação do Enem



TOP 10: Dicas para fazer a redação Enem
Ainda resta tempo para se preparar para a redação do Enem. Siga as nossas dicas:

1 – Adquira o hábito de ler
O caminho mais fácil para chegar próximo da perfeição numa redação é criar o hábito de ler, isso será capaz de aperfeiçoar sua escrita, enriquecer seu vocabulário, e assegurar uma boa ortografia, quesito este indispensável em qualquer redação.

2 – Reconheça os pontos fracos
Para saber como escrever bem, o estudante deve identificar os seus pontos fracos, ou seja, se a dificuldade é com pontuação ou acentuação, estude sobre eles.


3 – Peça para alguém ler o seu texto
Outra dica valiosa de como fazer um bom texto é ter alguém com conhecimento específico, seja um professor ou amigo, que possa ler seu material e ajudá-lo a melhorar a cada dia.

4 – Siga uma estrutura
O texto precisa ser composto por introdução, isto é, quando o assunto é abordado pela primeira vez; o desenvolvimento, onde a opinião e os argumentos são colocados no papel e o texto ganha forma; e finalmente a conclusão, ideia que se tira de tudo o que foi dito – ter este conhecimento é o básico para ir bem na redação do ENEM 2018.

5 – Preocupe-se com a coesão e coerência
Coesão e coerência são dois conceitos fundamentais para a compreensão textual. O primeiro trata da articulação que existe entre as palavras e orações, a fim de evitar a redundância de determinados termos. O segundo diz respeito ao sentido e à relação entre os parágrafos.

As palavras, frases e ideias precisam ter um propósito numa redação – decida o que seu texto irá transmitir e o torne interessante e coeso.

6 – Seja claro e objetivo
Ser claro e objetivo também é um desafio, prefira ser entendido ao utilizar palavras difíceis para desenvolver sua redação, pois isso pode fazer com que o foco do texto fique confuso e perca o sentido para o leitor.

7 – Fique por dentro das atualidades
Manter-se sempre bem informado sobre notícias do Brasil e do Mundo é primordial para se preparar para redação Enem 2018, porque as possibilidades de temas são inúmeras, e claro que quanto mais o estudante souber dos acontecimentos a sua volta, mais fácil será se munir de argumentos para defender da maneira correta a suas ideias no tema da redação Enem.

8 – Exercite a escrita
Seria muito interessante escolher alguns temas atuais e treinar – deixe a preguiça de lado e comece agora mesmo a praticar para aumentar suas chances de tirar nota alta no Enem. Lembre-se: para escrever bem é preciso escrever muito.

9 – Sempre revise o texto
No treino para conseguir ser aprovado na redação do Enem, procure sempre organizar as ideias em um rascunho e, depois, realizar uma revisão cuidadosa. Leia com atenção para encontrar possíveis erros gramaticais. Caso esteja em dúvida sobre a grafia de uma palavra, não arrisque. Substitua por um sinônimo.

10 – Inspire-se nas melhores redações
Quem está estudando para o Enem precisa se inspirar nas melhores redações do exame para conseguir produzir um bom texto. Muitos estudantes conquistaram nota máxima porque organizaram bem suas ideias e souberam usar exemplos para enriquecer o conteúdo.

Fonte: Descomplica

# Clique aqui e conheça nossa lista de atividades com cada assunto gramatical:
http://diogoprofessor.blogspot.com/2013/11/indice-para-aulas-sobre-conteudos.html

# Clique aqui e conheça nossa lista de atividades de interpretação com letras de música:
https://diogoprofessor.blogspot.com/2018/06/lista-de-atividades-de-analise-de.html

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Aula: Atividade sobre substantivos a partir do texto "Circuito fechado"


Leitura do texto “Circuito Fechado”. Em seguida o professor deverá fazer perguntas para serem respondidas oralmente, como as abaixo:

- Este texto possui algum substantivo?
(R.: Sim, todas as palavras são substantivos)
praticamente
- Alguém poderá dar algum exemplo de substantivo retirado do texto? (Qualquer exemplo do texto estará correto, exceto conetivos e preposições)

- Leia um trecho e pergunte: será que esse texto é formado por substantivos em quase sua totalidade?

- Isso é possível? Conseguimos nos comunicar só com substantivos? (Se a resposta for sim, faça com que argumentem essa ideia; se a resposta for não, pergunte se eles não entenderam nada do texto, leia um trecho e explique, se necessário)

A partir daí o texto deve ser esmiuçado através da leitura e da demonstração de como, se seguirmos uma linha de raciocínio, podemos compreender o seu sentido.

Circuito Fechado Ricardo Ramos

Chinelos, vaso, descarga. Pia, sabonete. Água. Escova, creme dental, água, espuma, creme de barbear, pincel, espuma, gilete, água, cortina, sabonete, água fria, água quente, toalha. Creme para cabelo, pente. Cueca, camisa, abotoaduras, calça, meias, sapatos, telefone, agenda, copo com lápis, caneta, blocos de notas, espátula, pastas, caixa de entrada, de saída, vaso com plantas, quadros, papéis, cigarro, fósforo. Bandeja, xícara pequena. Cigarro e fósforo. Papéis, telefone, relatórios, cartas, notas, vales, cheques, memorandos, bilhetes, telefone, papéis. Relógio. Mesa, cavalete, cinzeiros, cadeiras, esboços de anúncios, fotos, cigarro, fósforo, bloco de papel, caneta, projetos de filmes, xícara, cartaz, lápis, cigarro, fósforo, quadro-negro, giz, papel. Mictório, pia, água. Táxi. Mesa, toalha, cadeiras, copos, pratos, talheres, garrafa, guardanapo. xícara. Maço de cigarros, caixa de fósforos. Escova de dentes, pasta, água. Mesa e poltrona, papéis, telefone, revista, copo de papel, cigarro, fósforo, telefone interno, gravata, paletó. Carteira, níqueis, documentos, caneta, chaves, lenço, relógio, maço de cigarros, caixa de fósforos. Jornal. Mesa, cadeiras, xícara e pires, prato, bule, talheres, guardanapos. Quadros. Pasta, carro. Cigarro, fósforo. Mesa e poltrona, cadeira, cinzeiro, papéis, externo, papéis, prova de anúncio, caneta e papel, relógio, papel, pasta, cigarro, fósforo, papel e caneta, telefone, caneta e papel, telefone, papéis, folheto, xícara, jornal, cigarro, fósforo, papel e caneta. Carro. Maço de cigarros, caixa de fósforos. Paletó, gravata. Poltrona, copo, revista. Quadros. Mesa, cadeiras, pratos, talheres, copos, guardanapos. Xícaras, cigarro e fósforo. Poltrona, livro. Cigarro e fósforo. Televisor, poltrona. Cigarro e fósforo. Abotoaduras, camisa, sapatos, meias, calça, cueca, pijama, espuma, água. Chinelos. Coberta, cama, travesseiro. Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

# Clique aqui e conheça nossa lista de atividades com cada assunto gramatical:
http://diogoprofessor.blogspot.com/2013/11/indice-para-aulas-sobre-conteudos.html

# Clique aqui e conheça nossa lista de atividades de interpretação com letras de música:
https://diogoprofessor.blogspot.com/2018/06/lista-de-atividades-de-analise-de.html

sábado, 30 de junho de 2018

Redação e gramática: Sete pecados gramaticais



Escrever ou não escrever: eis a questão! Para muitos, redigir um texto é um verdadeiro sacrifício, pois, não bastasse a dificuldade para organizar as ideias, ainda é preciso ficar atento às inúmeras regras gramaticais. Pois bem, isso é verdade, mas para ajudar você a livrar-se dos incômodos erros que ferem a gramática normativa, o sítio de Português preparou uma lista com os temidos sete pecados gramaticais.

Se fôssemos elaborar um manual com os erros mais graves, teríamos assunto para muitos outros artigos. Aqui não estão todas as “derrapadas linguísticas”, mas elencamos para você algumas dúvidas bem habituais, além de possíveis soluções que vão transformar a escrita em um exercício prazeroso. Atenção às dicas:

Os sete pecados gramaticais

Ѽ 1 - Uso da Crase: Não se preocupe, você não é o único que sofre quando o assunto é CRASE. Saber que a crase nada mais é do que a fusão da preposição “a” com o artigo “a” ajuda em muito, afinal de contas, o A só levará o sinal se houver a obrigatoriedade da preposição e do artigo ao mesmo tempo: Os alunos vão à escola. (Quem vai, vai A algum lugar, e o substantivo escola pede o artigo A, portanto, ocorrerá o fenônemo da fusão dos dois “As”).


Ѽ 2 - Emprego da vírgula: Não se engane, a vírgula não é um sinal gráfico que pode ser empregado aleatoriamente dentro de um texto. Quando mal empregada, ela pode ocasionar alterações de sentido, comprometendo a inteligibilidade e a compreensão de sua redação. Existem algumas situações em que seu uso é obrigatório: na existência de um vocativo, aposto explicativo, quando o predicativo está deslocado na frase, entre outras. Uma leitura cuidadosa do seu texto poderá indicar a necessidade – ou não – do uso da vírgula.

Ѽ 3 - Mas x mais: Duelo desnecessário, mesmo porque é fácil identificar quando cada um dos termos em questão deve ser utilizado. Emprega-se o “mas” quando houver relação de oposição e contrariedade. O “mais” deve ser utilizado como advérbio de intensidade: Eu gostaria de viajar mais vezes, mas tenho pouco tempo e pouco dinheiro. (Mas = contrariedade/oposição e mais = advérbio de intensidade).

Ѽ 4 - Aonde x onde: Não deixe que esse clássico dos erros gramaticais gere ainda mais dúvidas: “aonde” deve ser utilizado com os verbos que indicam movimento e que exigem a preposição “a”, enquanto “onde” expressa ideia de lugar fixo. Aonde os alunos foram? Onde eles gostam de estar, na escola!

Ѽ 5 - Palavras homônimas: Chamamos de homônimas as palavras que apresentam a mesma estrutura fonológica, os mesmos fonemas, a mesma acentuação e ainda assim apresentam significados completamente divergentes! O bom leitor saberá quando e como usar as palavras homônimas, já que o contexto será fundamental para a compreensão do texto. São Francisco de Assis e Santa Clara são os santos mais populares da Itália.

Ѽ 6 - Verbo “haver”: Não tem nada a ver você confundir o verbo “haver”, pelo menos não a partir de agora! Apesar de ser pouco usado na modalidade oral (costumamos substituí-lo pelo verbo “ter”), o verbo em questão deve ser empregado sem medo na modalidade escrita, pois ele confere maior formalidade a um texto. Se ele fizer a substituição perfeita do verbo “ter”, então o uso está liberado. Lembre-se: “haver” com “H”, sempre!

Ѽ 7 - Nosso último pecado gramatical é... Mim x Eu. Não, não vamos entrar em confronto, nada disso, a ideia é fazer você entender que “mim” não poderá ser utilizado para cumprir a função de sujeito, mesmo porque mim não faz nada, muito menos antes de um verbo! Nesse caso, empregue o pronome pessoal do caso reto “eu” e acerte na mosca! Bons estudos!

Fonte: portugues.uol.com.br

# Clique aqui e conheça nossa lista de atividades com cada assunto gramatical:
http://diogoprofessor.blogspot.com/2013/11/indice-para-aulas-sobre-conteudos.html

# Clique aqui e conheça nossa lista de atividades de interpretação com letras de música:
https://diogoprofessor.blogspot.com/2018/06/lista-de-atividades-de-analise-de.html

sexta-feira, 29 de junho de 2018

10 dicas para estudar Português para o vestibular e o Enem



Professores ouvidos pelo Guia do Estudante contam 10 estratégias infalíveis para encarar cada matéria. Veja a seguir as de Português. (Consultoria: prof. João Jonas Veiga Sobral)

1. Verbos
A melhor forma de estudar verbo é observar, em textos diversos, como um tempo pode substituir outro para realçar a construção de sentido em um texto. Você deve saber usar os modos imperativo, subjuntivo e indicativo e relacionar os tempos.

2. Categorias gramaticais
Priorize pronome, conjunção, advérbio, substantivo e adjetivo. É importante perceber, por exemplo, que pronomes e advérbios funcionam como elementos de coesão e de coerência no texto e que são explorados em seu caráter remissivo – empregados na substituição de um determinado termo.

3. Sintaxe
Nos períodos compostos, por exemplo, é importante perceber a variação de sentido proporcionada pela escolha de uma determinada conjunção ou conectivo. Saiba identificar desvios de regência e de concordância.

4. Figuras de linguagem
Estude todas as figuras – especialmente metáfora, gradação, ironia e paradoxo – e atente para as nuances de sentido que elas provocam. Atenção para os efeitos causados pela conotação (linguagem figurada) nas situações comunicativas.

5. Variante linguística
Além de saber identificar o tipo de variante empregada – regional, popular, culta – é importante notar a interferência dela na organização do texto. As variantes são responsáveis pela identidade do enunciador, por isso fique atento à intencionalidade na escolha desse registro.

6. Gênero textual
Centre na identificação dos gêneros (carta, editorial, resenha, publicidade, quadrinhos etc) e também na sua intencionalidade.

7. Recursos linguísticos
Reveja exercícios com polissemia (palavra que apresenta várias sentidos). Ela pode enfatizar uma determinada intenção comunicativa ou simplesmente tornar o texto confuso e ambíguo. Ironia também é importante. Fique atento à intencionalidade de cada discurso para perceber o humor, o desvio ou a sutileza de sentido.

8. Estrutura e formação de palavras
Atente para prefixos (negação, por exemplo) e sufixos (diminutivo e aumentativo, por exemplo) que podem tornar a palavra mais enfática. Peças publicitárias e textos literários exploram bastante essas possibilidades.

9. Linguagem verbal e não verbal
Quadrinhos e charges ajudam a compreender a relação entre linguagem verbal (texto) e não-verbal (imagem). Treine com eles.

10. Livros obrigatórios
Veja se o vestibular que vai prestar tem lista de leitura obrigatória e dê atenção especial a essas obras.

Fonte: Guia do Estudante