domingo, 13 de setembro de 2015

Exercícios sobre intertextualidade em poesias de Drummond, Chico e Adélia Prado



Leia os seguintes versos e responda as questões propostas.

Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra
disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida.
(Trecho de “Poema de sete faces” de Carlos Drummond de Andrade)

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
(Trecho de “Com lincença poética” de Adélia Prado)

Quando nasci veio um anjo safado
O chato do querubim
E decretou que eu estava predestinado
A ser errado assim 
(Trecho de “Até o fim” de Chico Buarque)

# Questões:
1) Nos três textos temos a figura de um anjo que anuncia o destino do eu lírico.

a) Como é o anjo da poesia de Drummond e qual é o destino anunciado para o eu poético?

b) Como é o anjo da poesia de Adélia Prado e qual é o destino anunciado para o eu poético?

c) Como é o anjo da poesia de Chico Buarque e qual é o destino anunciado para o eu poético?

2) Tendo em vista que a palavra “gauche” significa “Indivíduo tímido, incapaz, sem muita aptidão”, qual a relação intertextual entre o texto de Drummond e de Chico Buarque?

3) Observe a figura do anjo no texto de Drummond e de Adélia Prado. Qual a relação intertextual entre estes dois textos? Por quê?

Fonte: https://profsimonepaulino.wordpress.com Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...